26 de fevereiro de 2015

Thinking Out Loud

Thinking out loud - pensando alto! ... não! não é sobre a música de Ed Sheeran em que os srs dançam tão bem ... apenas pensamentos soltos ditos/escritos, libertos do silêncio desta mente inquieta ....

Li algures que «ficamos escravos por coisas/decisões que escolhemos/tomamos livremente».
Tantas vezes é assim para bem e para mal.
A primeira imagem que associo a isto, pelo condicionamento dos tempos actuais, é a de créditos, coisas materiais... mas é muito mais do que isso e  substituiria a palavra «escravos» por «compromissos» ou por «consequências vividas» para lhe tirar a carga negativa que a palavra  «escravos» encerra...
É assim nos amores, na família, nos bens materiais, nas decisões profissionais... até nas relações sociais.
É assim! Um conjunto de decisões-consequências que fazem uma Vida! Vida que vive, que se alimenta disto mesmo. Deste jogo. Deste malabarismos que corre muitas vezes bem e outras mal.
Um Tempo que não perdoa... que corre sem tréguas justamente para todos (ninguém se ri de ninguém sobre este tema) e nesse Tempo a intensidade com que o vivemos é exatamente a quantidade de compromissos, decisões, coisas, vivências, libertações, paixões, beijos, abraços, conversas, projetos, ...  que marcam  a diferença.
Li num blog (que adoro) que as pessoas também se «medem» pela intensidade com que abraçam, com que apertam a mão, com que beijam, com que se entregam às coisas e aos outros... Definitivamente verdade! «Medem-se» com o como vivem TUDO! (mesmo às vezes não percebendo os porquês!) O mau, o bom e conclusivamente a re-invenção de si mesmos cada dia, dia atrás dia.

Numa conversa com a minha irmã analisávamos com curiosidade que com «o tempo» ficamos preguiçosos, voluntariosos, ... procuramos o caminho mais fácil, usamos comandos da televisão, compramos a sopa feita para não ter trabalho - mas a minha avó de 92 anos não! agarra a bengala e faz encostada a ela a sua própria sopa, cava a terra sentada num banco com uma micro enxada que ela própria engendrou... chega devagar mas vai a todo o lado que esteja ao seu alcance. Está sempre pronta a recomeçar, a usar o que sabe e até a aprender mais. O meu filho também não! Cai, levanta-se, «vai buscar» e ele vai, não quer ter sono, corre muito mais do que anda... as crianças são assim nunca estão cansadas demais, amanhã estão sempre prontas a recomeçar e a aprender algo mais...
(...) as pessoas também se «medem» pela intensidade com que abraçam, com que apertam a mão, com que beijam, com que se entregam às coisas e aos outros... Definitivamente verdade! «Medem-se» com o como vivem TUDO! (mesmo às vezes não percebendo os porquês!) O mau, o bom e conclusivamente a re-invenção de si mesmos cada dia, dia atrás dia. (- in este post - mais acima )

A maternidade é talvez o compromisso mais sério que tomei até hoje. Não se aceitam devoluções nem trocas. Serei mãe para sempre. O coração nunca mais está tranquilo porque se não é preocupação é alegria, se não é presença é saudade...
É o compromisso de ser o melhor Eu possível porque ele, o meu filho, precisa de mim assim.
... e neste processo o reencontro com uma Eu mulher/mãe... com coisas boas, forças esquecidas, esperanças esmorecidas, muitos desafios...
Provavelmente incompreensível para muitos mas é o compromisso mais egoísta e mais compensador - dar muito, fazer muito, dormir menos, sofrer e sorrir, amar sem limites, ser Grande, ser Inteira, ser «livre» ... ser como ele criança em que não existe o conceito do amanhã e então quero tudo agora. hoje, com alegria..., como a «avó» que vive só mais um dia de cada vez e por isso o vive até ao limite para não deixar nada por fazer ou dizer.... e a minha luta diária de construir cada dia a vontade de ser assim todos os dias.

Thinking out loud - a Vida é uma luta diária! A luta de nos obrigarmos somente a sermos nós! A nossa essência! Porque aí está já o melhor de nós! Sem comparações, sem medos, com sonhos no futuro, com força no presente, com Amor por nós e por quem nos rodeia!

A Vida dá luta!!!

...e a mim também me deu esta «Luz do Meu Túnel» que AMO mais que a mim mesma ou a qualquer outra coisa :))))))))))))))))))))))))))))))))))))) (como qualquer mãe normal aos seus filhos, claro!) e de quem vaidosamente partilho aqui algumas fotos da última sessão fotográfica caseira (os telemóveis são os melhores amigos das mães viciadas em fotografias)

JB @ Jardim da Estrela - Lisboa


JB @ Jardim da Estrela - Lisboa


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares